Make your own free website on Tripod.com

Padres e Freiras

 

Um sacerdote procura o médico para seu check-up anual.  O doutor o examina e pede vários exames de rotina. Com os resultados na mão, chama o sacerdote para lhe dar uma péssima notícia:

- Olha, lamento lhe dizer, mas... O senhor tem apenas mais uma semana de vida!

O padre volta arrasado para o convento. Desabafa com uma amiga freira e lhe faz uma proposta:

- Sabe o que é, irmã, até hoje eu tenho mantido meu voto de celibato. Mas como agora sei que vou morrer mesmo, gostaria muito de saber como é o calor de uma mulher. Aí pensei: a senhora concederia uma noite de amor a este pobre moribundo?

A freira não consegue se negar a atender o pedido do amigo e, naquela noite, eles se amam.

No dia seguinte, bem cedo, o padre volta ao médico, que o recebe com um largo sorriso:

- Padre! O senhor não imagina que boas novas eu tenho para lhe dar, muito boas mesmo! A secretária do laboratório ligou dizendo que todos os exames estavam trocados. O senhor goza de excelente saúde. Não é maravilhoso?

Pulando de alegria, o padre volta para o convento e lá procura a amiga:

- Irmã, fui ao médico e, adivinhe só: ele disse que a minha saúde está perfeita!

A freira olha para o horizonte com um olhar melancólico.

O padre estranha e pergunta:

- O que foi, irmã? Não gostou da notícia?

E ela fala:

- Não é isso. Eu só estava aqui pensando com meus botões quantas outras vidas eu já poderia ter salvo...

Um homem vem dirigindo por uma estrada deserta quando vê pelo canto do olho uma placa que diz: Convento e Prostíbulo das Irmãs da Misericórdia a 15 km. Ele ri, acreditando ter sido uma peça pegada pela sua imaginação. Pouco mais tarde, passa por uma segunda placa: Convento e Prostíbulo das Irmãs da Misericórdia a 8 km. Então percebe que a coisa é para valer. Assim, quando uma terceira placa anuncia: Convento e Prostíbulo das Irmãs da Misericórdia, próxima entrada à direita, ele reduz a velocidade e entra. Vai dar num pequeno estacionamento, além do qual, num antigo prédio colonial com uma grande porta de madeira uma placa avisa: Irmãs da Misericórdia.

Ele salta do carro e toca a campainha. Uma jovem e linda freira num longo hábito negro abre a porta.

- O que podemos fazer por você, irmão?

- Eu vi os anúncios de vocês na estrada e fiquei curioso. eu gostaria de usar os seus serviços.

- Muito bem, irmão, siga-me.

Eles andam para cima e para baixo, por diversos corredores que o deixam desorientado, até parar em frente a uma porta fechada. A freira manda que ele bata à porta e o deixa só. Batendo à porta, ele é recebido por outra irmã, igualmente jovem e bonita, com uma caixa na mão.

- Por favor, - ela diz - coloque quinhentos reais nessa caixa e depois vá até a porta no fundo desse corredor.

Ele coloca o dinheiro na caixa e dirige-se às pressas para a porta no fundo do corredor. Passa rápido por ela, que bate às suas costas e vê-se novamente no estacionamento, onde encontra-se uma pequena placa que ele não havia notado na chegada:

Siga em paz, irmão. As Irmãs da Misericórdia acabaram de foder com você.

Um homem recebe um aviso da Secretaria da Receita Federal de que caíra na malha-fina e que deveria comparecer para prestar esclarecimentos sobre a sua declaração.

- O que eu faço? - pergunta ao seu contador.

- Vista sua roupa mais velha. Não dê  nenhuma aparência de riqueza - aconselha o contador.

Ele pergunta o mesmo ao seu advogado e recebe uma resposta diametralmente oposta.

- Vista a sua melhor roupa, ponha uma gravata italiana. Não deixe eles o intimidarem.

Confuso, ele procura o padre da paróquia.

- Deixe eu lhe contar uma história, diz o cura. Uma mulher que ia casar perguntou à mãe o que devia usar na sua noite de núpcias.  A mãe lhe aconselhou usar uma camisola longa, de mangas compridas, de gola alta, para criar uma aura de mistério para o marido. Já sua amiga mandou ela usar uma camisola bem curta e transparente, que não deixasse nada para a imaginação.

- Mas o que isso tem a ver com o meu problema com a Receita?

- Bem, não importa o que você usar, vão acabar lhe enrabando.

Numa cidadezinha do interior, um rapaz faz suas compras. Passa pela loja de ferragens e compra dois  quilos de pregos e um balde. Depois, na quitanda, compra um ganso e duas galinhas. Como carregar tudo aquilo para casa?

- Porque você não coloca o pacote de pregos dentro do balde, bota uma galinha embaixo de cada braço e pega o ganso com a outra mão? - sugere o quitandeiro.

Assim, todo carregado, vai o rapaz pela rua quando encontra uma freirinha com um ar de quem estava perdida.

- Você pode me indicar onde fica a Rua das Acácias? - pergunta a freira.

- Por coincidência, eu moro lá. - responde o rapaz -  É só atravessar por esse beco que num instante estaremos lá.

- E o que me garante que quando estivermos no beco você não vai me apertar contra a parede, levantar o meu hábito e me estuprar?

-  Puxa, irmã, eu estou carregando um balde, um pacote de pregos, duas galinhas e um ganso. Mesmo se eu quisesse, como poderia fazer isso?

- Ora, meu filho, bota o ganso no chão, cobre com o balde, bota os pregos sobre o balde e eu seguro as galinhas.

Ao abrir a porta da igreja pela manhã, o padre da paróquia do interior encontra o cadáver de um jumento. Sem saber o que fazer, procura o delegado. O delegado, de partido político diferente do padre, resolve gozar com a cara do sacerdote.

- Padre, eu pensei que o primeiro dever de um sacerdote fosse enterrar os mortos.

- Não, delegado. O primeiro dever de um sacerdote é avisar à família do morto.

 

Na aula de religião, pede o Padre Luigi:

- Marcelinho, me diga os 10 mandamentos, em qualquer ordem.

- O 3º, o 6º, o 1º, o 8º, o 4º, o 5º, o 9º, o 2º, o 10º, e o 7º.

Padre Sinésio dirige o seu carro pela estradinha do interior quando distraído acaba atropelando um galo. Preocupado bate à porta de uma casa na beira da estrada.

- Senhor, eu gostaria de substituir o seu galo. - diz ele ao senhor que abre a porta.

- Fique à vontade, padre, as galinhas ficam lá no fundo.

A bichinha vai atender à porta e se depara com duas freiras em busca de donativos:

- Meu filho, nós somos irmãs de Cristo...

- Noooossa! Como vocês estão conservadas!

O sacristão entra correndo na sacristia, onde o padre descansava.

- Padre, venha depressa. Entrou um aleijado na igreja, foi na pia de água benta, molhou as pernas e jogou as muletas fora.

- Filho, demos graças a Deus. Você presenciou um milagre. Onde está esse homem?

- Está lá na igreja, no chão ao lado da pia de água benta.

Conversa num confessionário:

- Padre, o senhor soube que o Mário morreu?

- Que triste, filho, o que foi que aconteceu com ele?

- Ele ia para minha casa e estava vindo a toda velocidade. O Mário sempre foi de correr muito. Quando ele ia chegando e tentou parar, os freios falharam e o carro chocou-se do jeito que vinha na mureta la em frente. O Mário foi lançado pelo teto solar, voou uns 10 metros, e acabou se arrebentando contra a janela do meu quarto, no segundo andar.

- Ave Santíssima, que modo horrível de morrer!

- Não, não, padre! Ele sobreviveu a isso. Ele acabou no chão do meu quarto, todo arrebentado, sangrando e coberto de vidro. Foi então que ele tentou se levantar e pegou na maçaneta do meu guarda-roupa. É um guarda-roupa antigo, todo em jacarandá, pesadíssimo. Quando ele estava se erguendo, o guarda-roupa, que estava com um pé defeituoso, desabou em cima dele amassando tudo quanto foi osso do corpo dele.

- Pobre Mário! Que morte terrível!

- Não, padre, isso machucou muito mas não matou ele. Com muito esforço, ele conseguiu sair de baixo do guarda-roupa e engatinhou até a sacada que fica no topo da escada do hall. Ali ele tentou se levantar, apoiado no corrimão, mas o peso dele quebrou o corrimão e ele desabou até o chão do hall lá embaixo. Dois paus do corrimão quebrado ainda caíram sobre ele e o transfixaram.

- Mas que horror se morrer assim!

- Não! Não foi isso que o matou. Ele conseguiu arrancar os dois paus do corpo, engatinhou até a cozinha e tentou se levantar apoiado no fogão. Sem querer pegou na alça de uma panela que estava fervendo água e derramou a água fervendo por cima dele, queimando toda a pele. 

- Que morte desgraçada!

- Não, não, ele conseguiu sobreviver a isso. Mas lá estava ele caído no chão, numa poça de água fervente, quando viu o telefone na parede. Deve ter pensado em pedir ajuda. Apoiou-se na parede e tentou alcançá-lo. Mas, em vez do telefone ele meteu a mão no interruptor de eletricidade e zap! 10.000 volts passaram por ele.

- Ave Maria! Que fim terrível!

- Não, padre, isso ainda não matou ele. Ele... 

- Espere aí, filho! Afinal, como foi que ele morreu?

- Padre, eu atirei nele.

- Você ficou maluco, filho? Por que você atirou no pobre coitado?

- Poxa, padre, o cara estava destruindo a minha casa.

Dois amigos trocam confidências.

- Manuel, minha mulher está a me trair com um tenista. Encontrei uma raquete de tênis no meu guarda-roupa e nem eu nem ela jogamos tênis.

- Pois pior está a acontecer comigo, Joaquim. Creio que minha mulher me trai com toda a paróquia. Imaginas que nem religiosos somos e ao abrir o armário encontrei um padre. 

Um médico jovem mudou-se para uma pequena comunidade onde iria substituir o antigo médico que estava se aposentando. O velho esculápio sugeriu que o jovem o acompanhasse nas suas visitas domiciliares para que os clientes se acostumassem com ele.

Na primeira casa, uma senhora se queixou:

- Eu estou meio enjoada esta manhã.

- Provavelmente você anda exagerando nas frutas. - ponderou o velho médico - Porque você não diminui a quantidade que está comendo e vamos ver se isso não resolve o problema?

Depois que saíram da casa da paciente, o médico jovem perguntou:

- Você nem mesmo examinou a mulher. Como chegou ao diagnóstico tão rápido?

- Nem precisei examinar. Você notou que eu deixei cair o meu estetoscópio no chão? Quando me abaixei para pegá-lo, notei uma dúzia de cascas de banana no lixo. Isso devia estar fazendo ela ficar doente.

- Muito esperto! Deixe-me tentar na próxima casa.

Chegando na casa seguinte, eles levaram alguns minutos conversando com uma senhora que queixava-se de falta de energia.

- Me sinto totalmente fatigada ultimamente.

- A senhora deve estar se dedicando muito ao trabalho da Igreja. - diz o médico jovem - Talvez fosse prudente diminuir um pouco e ver se isso resolve o problema.

Quando saíram, o médico mais velho comentou.

- Seu diagnóstico está provavelmente correto. Mas como você chegou a ele?

- Do mesmo modo que você na outra casa. Deixei cair o meu estetoscópio. Quando me abaixei para pegá-lo, descobri o padre embaixo da cama.

No jardim do convento, a freirinha sorridente se distrai bordando uma toalhinha para colocar no altar sob os pés de Nossa Senhora do Rosário, quando de repente ela espeta o dedo.

- Porra! - exclama. 

Assustada com o que havia ouvido de seus próprios lábios, imediatamente leva a mão espalmada à boca.

- Puta que o pariu, eu disse porra... 

- Ah, caralho!

E depois de refletir alguns segundos:

- Ah! Foda-se! Por mim eu nem estaria nessa merda de convento! 

No Monte das Oliveiras, Jesus caminha entre os apóstolos.

- Pedro, tu me amas?

- É claro, mestre! Mais do que tudo na vida!

 André, tu me amas?

- Sim, Senhor! Sou capaz de morrer por ti!

- E tu Tiago, também me amas?

- Mais do que a mim mesmo, mestre!

Jesus olha para eles e com um sorriso orgulhoso conclui:

- É chato ser gostoso! 

Seu Alberto chega mais cedo do trabalho. Ao entrar em casa, ouve os gemidos da esposa. Ele bate a porta e sobe correndo as escadas, para encontrar a mulher completamente nua na cama.

- Estou tendo um infarto - grita ela.

Seu Alberto desce as escadas correndo e pega o telefone para chamar uma ambulância. Nesse momento desce o Albertinho de 5 anos chorando.

- Papai, tem um monstro no armário do quarto da mamãe.

Seu Alberto torna a subir correndo as escadas para encontrar o Padre Bartolomeu saindo do armário arrumando a batina.

- Padre Bartolomeu, eu não posso acreditar! Minha mulher tendo um infarto e o senhor em vez de ajudar fica se escondendo no armário para assustar as crianças?

Uma garota exuberante, com um decote enorme, entrou na igreja, ajoelhou e começou a rezar. Preocupado com a moral do seu rebanho, o padre se aproxima-se dela.

- Senhorita, por favor, cubra os seus seios!

E volta ao altar para rezar a missa.

Cinco minutos depois, percebendo que ela não tinha dado a mínima para a sua ordem, ele novamente aproxima-se dela.

- Senhorita, por favor, cubra os seios ou terei pedir que retire-se da igreja.

A garota se enfeza e põe as mãos na cintura.

- Padre, o senhor fique sabendo que eu tenho o direito divino...

- Sei, filha, e o esquerdo também, mas se não os cobrir, vai ter de sair

Um jovem padre acorda de manhã e no caminho da mesa do café encontra duas noviças.

- Bom dia, irmãs!

- Você levantou do lado errado da cama esta manhã. - elas respondem numa voz cantarolante de riso.

Isto deixa o padre confuso pois ele não via o que pudesse provocar tal reação. Um pouco mais à frente ele encontra um monge.

- Bom dia, irmão !

- Você levantou do lado errado da cama esta manhã. - responde o monge com ar severo.

O padre ficou ainda mais confuso e  adiante. Um pouco mais a frente encontra outro padre.

- Bom dia, padre!

- Você levantou do lado errado da cama esta manhã. - .responde o outro padre com ar irônico.

A coisa começa a dar nos nervos do padre e a deixá-lo de mau humor. Apressa o seu caminho para o café da manhã sem dar mais um pio. Quando chega à porta, o bispo olha para ele e dirige-se para cumprimentá-lo.

- Não, eu não levantei do lado errado da cama esta manhã! - ataca o padre, antes que o bispo tenha a oportunidade de falar.

- Não entendo, padre.

- Desculpe, reverendíssimo, o que o senhor deseja?

- Tudo o que eu ia fazer era perguntar porque o senhor está usando os sapatos da irmã Ana.

No confessionário um senhor casado confessa-se:

- Padre, eu quase tive um caso com uma mulher.

- O que você quis dizer com "quase"? 

- Bem, nós ficamos pelados na cama e nos esfregamos, mas eu não a penetrei.

- Esfregar é a mesma coisa que enfiar. Reze 10 Ave-Marias e deposite 50 reais na caixinha da igreja.

O sujeito deixa o confessionário, senta e reza. Aí levanta e vai até a caixinha. Ele passa uma nota de 50 na caixinha e vai embora. O padre, que estava observando-o, corre atrás dele e diz:

- Eu vi. Você não colocou dinheiro nenhum na caixinha!

- Bem, padre, eu esfreguei a nota na caixinha e o senhor disse que esfregar é a mesma coisa que enfiar...

 

João o caminhoneiro era famoso por não deixar escapar uma mulher quando dava carona. Mas já estava há dois meses dirigindo pelas estradas em jejum e não conseguia pegar ninguém. Eis que de repente, ele vê a sua frente, uma freira, novinha, bonitinha, pedindo carona. 

-Que Deus me perdoe! - pensou, enquanto parava para a irmã subir na boleia.

- Bom dia meu filho,você poderia me levar para a cidade mais próxima?

-  Bom dia dona freira, claro, mas tem um pequeno porém. Meu nome é João, venho do Maranhão e sou gostosão, entrou no meu caminhão não tem perdão.

- Tudo bem, meu filho, aqui na frente esta reservado para Deus, porém atrás está livre.

Não deu outra, o João traçou a freirinha. Dirigindo pela estrada, João ficou pensando no pecado que tinha cometido. Quando parou para que a freira finalmente descesse, ele falou:

- Dona freira, me desculpe pelo o que eu fiz com a senhora, que Deus me perdoe, mas a senhora sabe como é ficar solitário muito tempo. 

- Não tem problema. Meu nome é Juvenal, venho de Natal, sou homossexual, gostei do seu pau e esta é minha fantasia de carnaval.

 

Um prisoneiro consegue fugir da penitenciária depois de 25 anos preso. Na fuga, acaba entrando numa igreja, em cuja copa um padre e uma beata jovem e bonita jantam. Ele amarra o padre e a beata nas suas cadeiras. Aproxima-se da jovem beata e enfia o rosto no seu pescoço. De repente, levanta e dirige-se à cozinha. O padre, falando o mais baixo possível, diz à beata:

- Este homem não vê uma mulher há anos. Eu o vi te beijar o pescoço e depois sair às pressas. Por favor, coopera com ele. Se ele quiser ter relações contigo, aceita e finge que estás gostando. Mas por favor não o enfrenta ou o ofende. Nossas vidas dependem disso!

- Padre - responde a beata - ainda bem que o senhor tem uma cabeça aberta. Você está certo, ele não vê uma mulher há anos. Mas ele não estava me beijando no pescoço. Ele estava me sussurrando no ouvido. Ele disse que achou você lindo e perguntou se tinha manteiga na cozinha.

 

No cartório o tabelião preenche a certidão de nascimento de um menino.

- Nome do pai?

- Padre Jose Maurício dos Santos.

- Nome da mãe?

- Irmã Auxilidadora da Silva.

- Vocês largaram o hábito?

- Não, apenas levantamos.

 

O Paulão foi chamado no Colégio Maristas, onde o filho estuda. Na diretoria, o Padre Martinelli explica.

- O senhor tem que tomar uma providência com o seu filho. Estamos tendo problemas sérios com ele e os professores me trazem queixas quase todos os dias. Imagine o senhor que a professora estava fazendo uma brincadeira com  as crianças, perguntando do que elas mais gostam e o seu filho respondeu que o que ele mais gosta é de boceta!

- Mas padre diretor, foi só isso que preocupou o senhor? Liga não, padre... coisa de garoto novo... nunca comeu um cu...

Um padre moderninho assumiu a paróquia de uma cidadezinha e, implantou um grande sistema de administração de paróquias.

Colocou micro no altar, no confessionário, na sacristia; implantou Sistema de Cadastro de Fiéis, Estoque de Hóstias, Controle de Casamentos, Fluxo de Caixa dos Bingos, Dízimo a Receber etc.

No dia em que o sistema do confessionário entra em funcionamento, o padre recebe uma garota para se confessar:

- Deus te abençoe minha filha, só um instante que estou me logando... pronto, pode falar: quais são os teus pecados?

- Padre, eu pequei. Foi com meu namorado... eu tentei resistir, mas...

- Vamos, filha, fale logo senão o sistema dá time-out na conexão.

- Tá bom, padre, eu deixei meu namorado beijar meus seios e...

O padre, interrompendo-a, fala, enquanto digita afobado:

- ...bei-jar-os-sei-os e "enter". Ok, minha filha, reza 5 ave-marias e pronto. 

- Não, padre, não acabei ainda...

- Então fale, filha, antes que entre a proteção de tela.

- Bom, padre, daí ele me fez segurar seu pênis e...

- ...se-gu-rar-o-pê-nis e "enter". Bom, então reza mais três pais nossos e tá perdoada. 

- Não, padre, ainda tem mais...

- Então fale, minha filha, que daí a pouco o banco de dados sai do ar para o backup. 

- Daí, padre, ele tirou minha calcinha e colocou metade...

- ...co-lo-cou-me-ta-de e "enter". Opa! Deu "Erro - 45" ??? Vou digitar de novo... co-lo-cou-me-ta-de e "enter" opa deu "Erro - 45" de novo ...Acho que estou digitando algo errado, vamos ver, vou tentar com outra palavra... en-fi-ou-me-ta-de e "enter". Nada! Continua dando "Erro 45". Deixa eu dar uma olhada no manual.

O padre pega a documentação do programa de confessionário:

- Vamos ver: erro 40... 42... 44... tá aqui.... erro 45... 

O padre lê por alguns instantes a papelada.

- Filha, faz o seguinte: volta lá com o seu namorado e pede para ele enfiar tudo, pois nessa versão, nosso sistema não aceita fração.

Por motivos de saúde, Madre Berenice, noventa anos, foi transferida para um convento numa cidade de clima mais quente. Duas irmãs foram levá-la para a nova morada, recomendado às novas irmãs a sua velha Madre Superiora. 

Sentada no parque, sua cadeira de rodas empurrada por uma prestativa noviça, Madre Berenice gozava o calor do sol, tirando rápidos cochilos. Sempre que o seu corpo caia de lado, logo a prestativa noviça a colocava novamente ereta.

Antes de voltarem ao convento, as duas irmãs que trouxeram a Madre Berenice a foram procurar para despedir-se.

- E então, Madre, que tal achou o novo convento?

- Maravilhoso. Só não digo que é perfeito porque tem uma noviça aqui que nunca me deixa soltar um peido.

Duas bichinhas viajavam de avião à noite quando bate o tesão em uma delas. O namorado fica desconcertado e tenta convencê-la da loucura que era transar ali mesmo. A primeira bichinha insiste, que todo o mundo estava dormindo, que todo mundo tinha jantado bem, tomado champanhe e que ninguém ia acordar com um gemido ou outro. Para provar o seu ponto de vista, levanta-se e interroga em voz alta.

- Alguém tem um isqueiro para acender meu cigarro?

O silêncio volta a envolver o avião. Ninguém responde, ninguém reclama. Vencido pela evidência, o namoradinho desce-lhe as calças e manda ver.

Tempos mais tarde, depois uma comissária resolve dar uma geral no avião e encontra um um padre velhinho todo encolhido e tremendo.

- O senhor está doente, esta sentindo alguma coisa?

- Não, minha filha, eu só estou com muito frio pois sou velho e este ar condicionado esta muito forte.

- E porque o senhor não chamou, não pediu  um cobertor?

- Que nada, filha, um cara ali na frente, só porque pediu um isqueiro, acabou sendo enrabado, imagine se eu pedisse um cobertor.

Padre José mostra o zoológico aos meninos do orfanato.

- Padre José,  o que são esses dois bichos com pescoço grande?

- São girafas, Julinho.

- Por que é que uma delas está mordendo o pescoço da outra?

- São beijinhos, Marcinha, elas estão se agradando.

- Padre José, por que é que uma delas está subindo na outra? Não vai machucá-la?

- Moço, o senhor trabalha aqui?

- Pois não, Padre?

- Padre José, o que é aquilo que ela está enfiando na outra?

- Um momento, Sueli. Moço, olha,  isso  não é um espetáculo para crianças, o senhor precisa fazer alguma coisa...

- Qual é o problema com essas girafas?

- Padre José, uma das girafas está gritando, o que ela tem? Está doente?

- Um momentinho, Jorginho... O senhor não está vendo, elas estão...

- Padre José, a gente pode brincar de girafa?

- NÃO! Pelo amor de Deus, moço, tome uma providência, dê alguma coisa para elas comerem, uns biscoitos

- O senhor pararia com uns biscoitos?

A mulher vai se confessar. O padre a reconhece:

- Faz muito tempo que a senhora não aparece, não é mesmo?

- É, padre. É que eu tenho freqüentado outra paróquia.

- Tá bem. Me conte seus pecados.

-  Cometi  muitos  pecados. Muitos, padre. Fui grosseira, menti, cometi  os pecados da soberba e da vaidade. Até trair meu marido eu traí, padre. 

- Traiu seu marido? Mas com quem fizeste isso, filha?

- Com o padre da outra paróquia. O Senhor me perdoa, padre?

- Claro que o Senhor a perdoa, filha. Mas nunca se esqueça de uma coisa: qualquer coisa que a filhinha precise, sua paróquia é ESTA AQUI, entendeu?

O individuo no confessionário abria o seu coração para o sacerdote.

- Padre, eu estou tendo uma terrível tentação. Eu trabalho numa fábrica de conservas e tenho uma vontade incontrolável de colocar o pênis na cortadora de picles.

- Filho, isso não é uma tentação mas uma compulsão. Você deve procurar um psiquiatra, não um religioso.

Tempos mais tarde volta o indivíduo ao confessionário.

- Padre, lembra-se de minha compulsão de enfiar o pênis na cortadora de picles?

- Oh, não! - exclama o padre - Não fizeste isso!!!

- Sim, eu fiz! Uma noite fiquei sozinho na fábrica com a cortadora de picles e acabei colocando o pênis nela.

- Santíssimo! E o que aconteceu?

- Fui despedido...

- E não tomaram nenhuma providência quanto à cortadora de picles?

- Ah, ela também foi despedida!

O Padre de uma paróquia do interior encontra na estrada uma menina de uns seis anos, puxando uma vaca.

- Onde vai, minha menina?

- Vou levar a vaca para cruzar com o touro do Seu Zé.

O padre escandalizado, imaginando a cena que a menina iria ver, tentou
demove-la:

- Será que seu pai não poderia fazer isto?

- Não, padre, tem que ser o touro mesmo.

Um padre está e, missão em pleno pantanal mato-grossense, quando surge uma baita onça faminta. A fera lambe os lábios e se prepara para dar o bote. O padre se ajoelha e reza:

- Ó Senhor, incute nesta fera sentimentos cristãos!

E a onça ajoelhando-se junto ao padre:

- Ó Senhor, abençoai este alimento que vou receber!

No seminário, o bispo vai ordenar três novos sacerdotes : João, Pedro e Paulo. Para segurança sobre a vocação dos três resolve fazer um teste. Compra uma Playboy e pede para os noviços amarrarem um sino no pênis. Chama João e mostra a capa da revista. Imediatamente ouve o sino tocar: "tlin"

 - Que absurdo! Que escândalo! Vá agora mesmo tomar uma ducha fria!

Chama Pedro e mostra a capa da revista. Nada acontece. O padre fica feliz . Mostra então o pôster central e ouve "tlin".

- Que pecado! Vai tomar uma ducha fria!

O padre chama então Paulo e mostra a capa da Playboy. Nada. Mostra o pôster central. Nada. Mostra todas as fotos da revista e mais as de uma Hustler. Nada.

- Ah, que felicidade! - alegra-se o bispo- enfim uma verdadeira vocação! Vai, Paulo, pode ir tomar banho com João e Pedro. Tlin-tlin, tlin-tlin...

Uma dona de casa está com o amante na cama quando chega o marido. Mais que depressa, enfia o amante no armário do quarto e deita-se como se nada tivesse acontecido.

O amante, no armário, ouve uma vozinha infantil perto dele.

- Escuro aqui, não?

- É, bem escuro.

- Eu tenho uma bola de gude.

- Que legal!

- Quer comprar?

- Não!

- Eu aposto que se chamar o meu pai, que está lá fora, ele compra.

- Quanto você quer pela bola?

- R$ 25,00.

- R$ 25,00 por uma bola de gude?

- Pra vender mais barato só se eu perguntar ao meu pai.

- Toma o dinheiro!

  No fim-de-semana o pai vê o menino brincando com um carrinho de controle remoto.

- Quem te deu esse carrinho?

- Eu comprei.

- Com que dinheiro?

- Eu vendi a minha bola de gude.

 - Filho, você não pode enganar assim seus amigos. Nenhuma bola de gude vale isso. Vamos até a igreja. Eu quero que você tenha uma conversa com o padre Flávio. Ele deve ter mais jeito que eu para te aconselhar.

Na igreja, o menino entra no confessionário, se ajoelha e fecha a porta. A janelinha do padre se abre.

- Filho, confesse seus pecados!

- Escuro aqui não?

- Não vá começar com essa merda de novo!!!

Um casal tinha dois filhos, de 8 e 10 anos, extremamente travessos. Eles estavam sempre aprontando e seus pais sabiam que, se houvesse alguma travessura na cidadezinha onde moravam, com certeza eles estariam envolvidos

A mãe dos garotos ficou sabendo que o novo padre da cidade tinha tido bastante sucesso em disciplinar crianças. Então pediu a ele que falasse com os meninos.  O padre concordou, pedindo para vê-los separadamente. A mãe mandou primeiro o filho mais novo, pela manha, deixando o mais velho para a tarde.

O padre, um homem alto com uma voz trovejante, sentou o garoto e perguntou-lhe com severidade:

- Onde está Deus?

O garoto abriu a boca, mas não conseguiu emitir nenhum som. Ficou lá sentado com a boca aberta e os olhos arregalados. Então o padre repetiu a pergunta num tom ainda mais severo:

- Você sabe onde está Deus?

Mais uma vez o garoto permaneceu de boca aberta sem conseguir emitir nenhuma resposta. O padre levantou ainda mais a voz, e com o dedo no rosto do garoto, berrou: 

-ONDE ESTÁ DEUS?

O garoto começou a gritar e, sem esperar pelo fim da preleção, saiu correndo da igreja diretamente para casa, trancando-se no armário do quarto, onde o irmão mais velho o encontrou.

- O que aconteceu?

- Cara, desta vez nos estamos mesmo ferrados. Deus sumiu, e eles estão 

achando que a culpa é nossa.

Três freiras, que moravam juntas no mesmo prédio, estão descendo o elevador quando vêem uma gosma esbranquiçada na parede.

Um das freiras, enfia o dedo no material e leva-o a boca:

- Como eu tinha imaginado, é  esperma!

Curiosa, a segunda freira, repete o gesto:

- E já esta aqui ha mais de 20 minutos!

A terceira, com ares de entendida, conclui:

- E não é  de ninguém aqui do prédio!

Na Favela da Rocinha, três homens entram em um pequeno barraco, arrastando um padre pequeno e franzino pelos braços. Lá dentro, um crioulo enorme, todo suado, com cara de enjoado e com um palito no canto da boca, limpa as unhas com um facão de cortar coco. Um dos homens diz:

- Paulão, o Chefe mandou você dar uma enrabada nesse padreco! Disse que é para ele aprender a não se meter a valente, fazendo sermão mandando o pessoal fazer oposição ao tráfico aqui na favela.

- Pode deixar ele aí no cantinho que eu cuido dele daqui a pouco - diz o negão.

Cinco minutos mais tarde, chegam mais dois homens arrastando um outro e vão dizendo para o Paulão:

- O Chefe mandou você cortar as duas mãos e furar os dois olhos desse elemento aí, para ele aprender a não roubar o dinheiro das bocas de fumo e nem botar olho gordo no que é dos outros.

- Deixa ele ali no cantinho junto com o outro que eu já resolvo o problema dele! - fala em tom grave o Paulão.

Pouco depois, chegam mais três homens, arrastando outro pobre-coitado.

- Paulão, o chefe disse que é para você cortar o pinto desse cara aí e enfiar na boca dele, para que ele aprenda a não mais se meter com a mulher dele. Ah! Ele falou ainda que era bom cortar também a língua dele e todos os dedos das mãos, para não haver a menor possibilidade de ele vir a bolinar mulher alguma, tá bom?

- Deixe comigo que eu já providencio. Deixa ele ali no cantinho com os outros.

Quando os homens desaparecem, o padre lá no canto levanta a mão, pedindo licença para falar.

- Seu Paulão! Com todo o respeito, eu sei que o senhor é uma pessoa muito ocupada e estou vendo que está de serviço até o pescoço, não é verdade? Eu só queria lhe lembrar, que no meu caso é só uma "enrabadinha", viu?

No confessionário, uma mocinha conta ao padre os seus pecados:

- Padre, eu transei com meu namorado.

- Filha, reza um pai-nosso e duas ave-marias e não peques mais.

- É, seu padre, mas eu também dei a  bundinha.

- Bom, ai a coisa muda de figura. Eu vou até a sacristia verificar qual é a penitência por dar a bundinha e já volto.

Passados alguns minutos e nada do padre voltar, a garota começa a ficar preocupada com a penitência e sai do confessionário. Pouco depois entra um gaúcho de lenço e bombachas para se confessar. O padre ao voltar não nota a troca de penitentes e avisa:

- Deixe-me ver aqui na lista... A pena para quem dá a bundinha é dez pai-nossos e cinco ave-marias.

Do outro lado o gaúcho responde:

- A pena até que é justa, mas bah, tche, além de padre, tu também és vidente?

     Séculos atrás, o Papa decretou que todos os judeus teriam que abandonar a Itália. Houve uma grita geral por parte dos judeus e por isso o Papa propôs um acordo. Ele travaria um debate religioso com o líder da comunidade judaica. Se esse líder vencesse o debate, seria permitido aos judeus ficarem; caso contrário, teriam que abandonar o país.

Os judeus se reuniram e escolheram o rabino Moishe. Como esse não falava latim e o Papa não falava Yiddish, decidiu-se que seria um debate silencioso.

No dia do debate, o Papa e o Rabbi Moishe sentaram-se de frente um ao outro. O Papa encarou o rabino por algum tempo até que levantou a mão e mostrou 3 dedos. O rabino olhou de volta e levantou um dedo.

A seguir, o Papa balançou um dedo em torno da própria cabeça. O rabino apontou o chão. O Papa então pegou uma taça de vinho e uma hóstia. O rabino tirou de suas vestes uma maçã. A essa altura, o Papa levantou-se e declarou haver perdido o debate. Os judeus poderiam ficar.

Mais tardes os cardeais cercaram o Papa e lhe perguntaram o que tinha acontecido. 

- Primeiro levantei três dedos para representar a Santíssima Trindade. Ele respondeu com um dedo, lembrando que ainda assim era um só Deus, comum às nossas religiões. Então balancei um dedo ao redor de minha cabeça para mostrar que Deus estava em torno de nós. Ele respondeu apontando o chão para mostrar que Ele também estava aqui conosco. Então eu peguei a hóstia e o vinho para mostrar que Deus absolve todos os nossos pecados. Ele então pegou uma maçã, lembrando o pecado original. Ele tinha uma resposta para tudo. O que podia eu fazer?

Enquanto isso, na  comunidade judaica todos festejavam o Tabbi Moishe. O que aconteceu, perguntaram?

- Bem, disse Moishe, primeiro ele me disse que nós tínhamos 3 dias para deixar o país. Eu então respondi que ele podia levar uma dedada enquanto esperava. Ele gesticulou que a cidade ficaria livre dos judeus. Eu respondi que íamos ficar aqui mesmo. 

- E aí? - perguntou uma mulher - O que aconteceu?

- Quem sabe? - respondeu o rabino - Foi aí que paramos para lanchar.

Um padre vê um senhor cambaleando, entrar às pressas no confessionário com um com um ar de desespero no rosto. Preocupado entra no seu lado, desliza a portinha entre os compartimentos e pergunta:

- O que posso fazer para ajudá-lo, filho?

E o outro com um bafo de bebida e a língua enrolada:

- Tem papel higiênico aí do seu lado?

Um padre e um frade conversavam sobre coisas maravilhosas.

- Uma vez - contou o padre - eu estava numa viagem de avião e uma tempestade desabou. O avião sacudia tanto que todos acreditavam que iam morrer. Então eu rezei ao senhor e embora por todo o céu continuasse a tempestade, em volta do nosso avião não havia nem uma nuvem. E chegamos em paz ao destino.

- Comigo aconteceu algo semelhante - rebateu o padre - Era uma sexta feira e estava na casa de um fiel, quando serviram um maravilhoso filé. Eles não sabiam que carne nos era vedada na sexta-feira. Então rezei com fervor para o Senhor. E algo de incrível aconteceu. Embora em todo o canto fosse sexta-feira, ali em torno de mim era quinta.

Sentados num banco da pracinha do interior, três evangélicos observavam o pároco da cidade.

- Dizem que o padre é de uma calma incrível. Mas eu vou lá falar com ele e vocês vão ver ele espumar.

Dirige-se para o padre, em pé na porta da igreja.

- Sabe padre, essa história de Virgem Maria é a maior balela. De virgem ela só tinha os tímpanos.

- Ah, sim? - diz o padre, levantando a sobrancelha, fazendo o rapaz voltar frustrado. 

O segundo então resolve tentar e aproxima-se do sacerdote.

- Padre, sabe da sua Virgem Maria? Pois andei lendo nuns livros de História que ela era a maior puta. Que dava mais que chuchu na cerca.

- Creio que você está enganado, meu filho - responde o padre, sem se alterar.

O terceiro então garante que é capaz de fazer o padre estourar.

- Sabe, padre, sua Virgem Maria era protestante. E evangélica.

- Não acredito não, filho. Mas os seus amigos estavam tentando me convencer disso.

O padre da pequena paróquia no interior está indignado. Levantou pela manhã e não encontrou sua bicicleta.

- Alguém aqui da vila levou - diz ao sacristão - mas durante a missa, vou falar sobre os dez mandamentos, e quando chegar ao não roubarás, estou certo que esse infeliz me devolverá a bicicleta.

No fim da missa, o sacristão percebe uma mudança no humor do padre.

- E então, padre, está seguro que depois do seu sermão o pecador vai devolver a sua bicicleta?

- Não foi isso. É que quando cheguei no sexto mandamento, sobre guardar a castidade, lembrei de onde foi que eu deixei a bicicleta.

Um padre recebeu um chamado urgente para uma extrema-unção e como não podia deixar o confessionário vazio, pediu ao rabino vizinho, seu amigo, que ficasse em seu lugar.

- Você também é um sacerdote do mesmo Deus e acredito que não haverá problema. Ouça umas confissões comigo e você vê como é que faz.

O rabino sentou ao seu lado e observou cuidadosamente enquanto o padre tomava as confissões.

- Padre, eu cometi adultério.

- Quantas vezes?

- Três vezes.

- Reze duas ave-marias, coloque cinco reais na caixa de coleta e não peque mais.

Mais tarde, outra mulher entra no confessionário e confessa ter cometido adultério.

- Quantas vezes? - pergunta o padre.

- Três vezes.

- Reze duas ave-marias, coloque cinco reais na caixa de coleta e não peque mais.

Mais algumas confissões e o rabino declara-se capaz de conduzir as confissões na ausência do padre. Alguns momentos mais tarde, entra uma senhora no confessionário.

- Padre, eu cometi adultério - confessa ela ao rabino.

- Quantas vezes?

- Ora, uma vez!

- Então vá lá e faça mais duas vezes, que estamos com um especial essa semana de três por cinco reais.

Três padres voam num pequeno monomotor quando cai uma tremenda tempestade. O pequeno avião sacode como louco e os padres começam a acreditar que não vão sair daquela. Resolvem então se confessar entre si.

- Eu tenho um caso com uma paroquiana - conta o padre Francisco - A senhora Matias e eu sempre nos encontramos quando o marido vai trabalhar.

- Pois eu sou homossexual - conta o padre Fábio - e tenho relações com os meninos do coral.

- Meu problema é muito pior - afirma o padre Mário - Sou um tremendo fofoqueiro e já estou doido para sair dessa e espalhar para todo mundo o que vocês me contaram.

Um  padre  vai  visitar  um dos membros da paróquia numa sexta-feira à noite, quando ouve muito barulho e risadas de dentro da casa. Ele bate à porta e o dono abre. Atrás dele ele vê um círculo de homens pelados, com  mulheres peladas também, com uma venda nos olhos, indo de homem a homem, tateando pelo corpo, e tentando adivinhar quem é. O padre, chocado, tenta se retirar.

- Desculpe. Acho que me enganei de casa.

- Ah, Padre Francisco, deixa disso! Seu nome já foi citado três vezes!

Na cabeceira do moribundo, o padre o prepara para sua última viagem. Com firmeza ele sussurra:

- Renuncie ao Demônio. Mostre o desprezo que você sente pela sua maldade.

O doente fica calado. O padre insiste:

- Dentro de pouco você estará sendo julgado pelo Senhor. Renuncie a Satanás.

O moribundo continua em silêncio, para desespero do padre, que lhe pergunta:

- Porque você se nega a renunciar a Belzebu e às suas maldades?

- Padre, enquanto ainda não está certo para onde eu vou, não é boa política ofender ninguém.

Numa mansa tarde num jardim do Vaticano, quatro cardeais discutiam sobre os segredos de Fátima. Um deles argumentava que era uma tolice continuarem escondendo o terceiro segredo de Fátima, que não passava de uma bobagem, enquanto os outro três eram totalmente contra a sua divulgação. Não conseguindo convencer os outros três, apesar dos seus argumentos, o primeiro cardeal levanta os braços e diz: 

- Senhor, dê-me um sinal para provar que estou certo!

De repente, nuvens cobrem o céu, até então perfeitamente limpo. Os três cardeais pensam por uns momentos e dizem.

- Não, foi apenas coincidência.

O primeiro cardeal levanta as mãos para os céus e conclama:

- Deus, dê a esses incréus mais prova de que estou certo!

Dessa vez, um raio atinge uma árvore no jardim, próxima a eles.

- Não nos impressionou - dizem os cardeais - raios sempre ocorrem com tempo fechado.

Em desespero o primeiro cardeal torna a elevar seus braços:

- Senhor, eles são tão estúpidos... Por favor, mande um sinal que até eles possam entender.

De repente aparece um buraco entre as nuvens de onde jorra uma cascata de luz que os envolve e uma voz troveja:

- ELE ESTÁ CERTO!

Os três príncipes da Igreja pensam por um momento...

- Bem, de qualquer modo ainda somos três contra dois!

Numa churrascaria de estrada, um senhor senta à mesa com um frade e começa a se empanturrar de comida. No fim da refeição, solta um arroto alto, bate na barriga e exclama:

- Comi como um frade!

O franciscano à sua frente lhe pergunta:

- O senhor rezou?

- Não!

- Então o senhor comeu foi como um animal!

Duas freiras do interior, vêm para a capital.

- Você sabia, Irmã Mariana, que o pessoal daqui da cidade grande come cachorro? 

- Ah, não, deve ser brincadeira!

- Não, é verdade sim. Olhe alí aquela barraca. "Cachorro Quente"! 

- Bem, se viemos aqui para a cidade, temos que fazer como o pessoal daqui. Vamos lá. 

As duas irmãs chegam na barraca e pedem dois cachorros. Ansiosas vão para um canto desembrulhar o lanche. A Irmã Superiora é a primeira a abrir o seu embrulho. Começa a corar e virando para a outra irmã pergunta: 

- Que parte lhe deram?

Uma freira dirigindo o carro do convento acaba sem gasolina numa estradinha do interior. Andando um poucos quilômetros ela chega a um posto de gasolina. Mas no posto não tinha nenhuma vasilha. Acabam encontrando um penico e nele a irmã leva a gasolina para o carro. Passando pela estrada um capiau chega a tempo de vere a irmã derramar o conteúdo do penico no tanque, entrar no carro, dar a partida e ir embora. Enquanto o carro desaparece na distância ele reflete com seus botões:

- Vá ter fé assim na puta que pariu! 

Um exibicionista ficava na esquina do convento e quando as irmãs passavam  de bicicleta ele abria a capa e se mostrava para as irmãs.

A Irmã Teresa deu uma batida. A irmã Joana também bateu. A Irmã  Solange , mais recatada, nem tocou na piroca dele. 

O Padre na cidadezinha do interior estava esperando o Bispo, que vinha verificar o seu trabalho à frente da paróquia e pede à Madre Superiora que providencie um jantar à altura. A Madre manda uma noviça pescar um peixe para o jantar.

A noviça pesca um belo peixe. Na volta para o convento, um pescador olha e exclama:

- Que belo ucu.

- O senhor devia ter mais respeito, eu sou uma religiosa.

- Mas esse é o nome do peixe. Ucu. Um peixe delicioso.

A noviça volta com o peixe e entrega à irmã cozinheira.

- Olhe, irmã cozinheira, já viu um ucu desse tamanho?

- Que termos são esses, menina?

- Mas esse é o nome do peixe. Ucu. Foi o o que o pescador me disse.

Quando a Madre Superiora entra na cozinha a irmã cozinheira lhe mostra o peixe.

- Pronto, madre, o ucu já está limpo, como quer que o prepare?

- Que palavras na boca de uma irmã!

- Mas esse é o nome do peixe, Madre. Ucu.

À noite o Monsenhor, que esperava o Bispo, entra na cozinha.

- Olhe Monsenhor, o prato principal será ucu assado.

- Madre, onde estás com a cabeça? Como falas isso em minha frente?

- Monsenhor, ucu é o nome desse peixe. Foi nossa noviça quem pescou.

Durante o jantar, na presença do bispo, o peixe é servido.

- Parece muito bom, diz o bispo.

- Espero que o senhor aprecie o nosso ucu - fala a noviça.

- Asseguro ao senhor Bispo que nosso ucu foi muito bem limpo e convenientemente preparado para o senhor - afirma a irmã cozinheira.

- O senhor nunca comerá um ucu melhor- garante a madre superiora.

- Espero que o senhor não se incomode de ser ucu assado diz o Monsenhor.

O Bispo bate na mesa.

- Já ví que vou gostar pra cacete dessa paróquia!

Um padre segue pela estradinha do interior, levando o Bispo no assento do carona. De repente ouvem uma sirene e vê pelo retrovisor um policial numa moto. Para no acostamento e fica aguardando.

O policial se aproxima e bate com o cassetete no vidro do motorista. O padre abre o vidro e recebe uma cassetetada na cabeça.

- O que é isso, policial?

- Aqui na nossa cidade, quando o policial se aproxima, o motorista já deve estar de vidro aberto e com habilitação e os documentos do carro na mão.

O padre mostra a documentação solicitada. O policial confere os documentos, devolve tudo ao padre, faz a volta no carro e bate com o cassetete no vidro do carona. O bispo abre a janela e, para sua surpresa recebe também uma cassetetada.

- O que é isso policial? - começa a reclamar.

- Mas eu só fiz atender ao seu desejo.

- O que o senhor quer dizer com isso?

- Que daqui a três quilômetros o senhor ia virar para o padre aí ao lado e dizer: "eu queria ver ele fazer aquilo era comigo".

Dois voluntários da paróquia prestam suas contas ao pároco.

- Como vocês vem se saindo nesse trabalho junto à juventude? Estão conseguindo manter essa meninada afastada das drogas? - pergunta o sacerdote.

- Padre - conta o primeiro -, consegui convencer 15 meninos a dar um tempo nas drogas.

- E o que disse você a elas? - pergunta o pároco.

- Eu usei um diagrama. Desenhei 2 círculos como estes: "O o". E falei assim: o circulo maior e seu cérebro e o menor e seu cérebro depois das drogas. Eles realmente ficaram impressionados e garanto que vão levar um bom tempo sem tocar em drogas.

-  Muito bem!! - diz o pároco. E você? - pergunta ao segundo voluntário.

- Eu consegui convencer 235 pessoas a parar definitivamente com as drogas.

- Mas isso é um trabalho fantástico! Como conseguiu fazer isso?

- Utilizei um método parecido com o do meu colega. - diz o voluntário enquanto desenha "o O".

- Eu expliquei à moçada - fala, apontando pro circulo menor - este é o seu cu antes da prisão...

A Madre superiora entra no dormitório das freiras.

- É hora de dormir, meninas, vamos terminar com essas lâmpadas?

... clic, clic, clic...

- E vamos terminar com essas velas?

... plop, plop, plop...

Três freiras conversavam:

A primeira disse: - Outro dia eu estava limpando o quarto do Padre Augusto e encontrei uma porção de revistas pornográficas.

- O que você fez? - perguntaram as outras duas.

- Joguei tudo no lixo, é claro.

A segunda falou: - Pois quando eu fui pegar as roupas dele para levar para a lavanderia, eu achei uma caixa de camisinhas.

- O que você fez? - perguntaram as outras duas.

- Eu furei todas com um alfinete.

A terceira desmaiou.

Nelson Ned vai a Roma e no Vaticano é recebido em audiência pelo Papa. Depois das conversas protocolares, O anão pergunta:

- Santidade, a Igreja Católica tem freiras baixinhas?

- Bem filho, temos freiras de praticamente todos os tamanhos.

- Santidade, eu falo freiras assim do meu tamanho, talvez um pouco menor?

- Não, receio que não. por que a pergunta?

- Por nada, Santidade, apenas curiosidade. Mas com certeza, nenhuma tão baixinha assim?

- Não, desse tamanho não.

- Com certeza?

- Absoluta!

Nelson Ned mostra-se meio acabrunhado, deixando o Santo Padre curioso. Na saída do cantor, o Papa encosta o ouvido na porta para ouvir a sua conversa com o empresário e amigos que o tinham acompanhado:

- E aí? - pergunta a galera - O que ele disse?

- Ele disse que não tem nenhuma!

E o pessoal, em coro:

- Nelson comeu um pingüim! Nelson comeu um pingüim!...

Duas freiras vão passando por um beco escuro quando dois marginais aparecem, jogam as duas no chão e começam a estuprá-las.

- Perdoai-o, Pai - diz uma irmã - porque ele não sabe o que faz.

- Abençoai-o, Pai - diz a segunda - que esse sabe muito bem.

A madre superiora entra no supermercado.

- Eu queria comprar 120 bananas para o convento.

- Porque a irmã não leva uma grosa que sai mais barato?

- O senhor tem razão. Nós podemos comer as outras 24.

A noviça entra no escritório da Madre Superiora.

- Madre, eu fui estuprada por um ladrão!

- Calma, filha. Deite nesse sofá, relaxe e chupe esse limão.

- Isso vai evitar que eu engravide, madre?

- Não, mas vai tirar esse sorriso ridículo do seu rosto.

Três irmãs se confessam ao pároco local.

- Perdoe-me, padre, pois eu pequei.

- Que fizeste irmã?

- Nesse fim-de-semana eu assisti um filme pornô.

O padre olha para o céu por uns instantes e responde:

- Você está perdoada, reze três pais-nossos e tome um gole de água benta.

A irmã sai do confessionário enquanto a quarta irmã tenta conter o riso.

- Perdoe-me, padre, pois eu pequei - confessa a segunda irmã.

- Que fizeste irmãzinha?

- No fim de semana eu atropelei um cachorro e fugi sem dar ajuda.

O padre coça a cabeça por alguns minutos e ordena:

- Reze quatro pais-nossos, duas ave-marias e tome três goles de água benta. Vai e não peque mais.

Enquanto a irmã vai pagar sua penitência a quarta irmã, ri audivelmente.

- Perdoe-me, padre, pois eu pequei - diz a terceira irmã.

- Que aconteceu irmã?

- Ontem à noite eu tomei um porre e saí nua pelas ruas.

O padre arregala os olhos, pensa um bocado e comanda:

- Reze um terço e beba um copo de água benta. Deus lhe perdoa!

Enquanto a terceira irmã se retira, a quarta irmã já está às gargalhadas.

- Muito bem, irmã, quais os seus pecados e porque essa risada?

- Eu fiz xixi na água benta!

Um hippie senta num ônibus vizinho a uma freirinha e tenta passar uma cantada. A freirinha toma um susto, levanta-se e solta no ponto seguinte. Enquanto o ônibus segue, o motorista do ônibus diz para o hippie:

- Se você está muito a fim dessa irmãzinha, toda terça-feira à meia-noite ela vai ao cemitério rezar. Com esse seu cabelão e uma túnica, basta passar um pó fluorescente no rosto e roupa e dizer a ela que é Jesus Cristo. Como ela é uma esposa de Cristo, nada mais justo que ela tenha relações com você.

O hippie faz o que o motorista mandou e na terça feira seguinte está lá no cemitério esperando pela freirinha. Meia-noite, ela aparece, ajoelha-se junto a uma tumba e começa a rezar. O hippie, de túnica e manto, todo brilhante com o pó, aparece para ela.

- Eu sou Jesus. Ouvi suas prece e vim atendê-las. Mas antes, gostaria de cobrar meus direitos de esposo.

A freirinha encantada aceita, pedindo que tivessem relação anal, já que na verdade ela era apenas noiva e não esposa dele e virgindade só depois do casamento. O hippie entusiasmado manda ver na freirinha. Mais tarde, fumando um baseado, ele olha para ela.

- Irmãzinha, tenho uma coisa para confessar. Eu sou o hippie que você conheceu no ônibus.

- Tem problema não - diz a "freirinha", tirando o véu - eu sou o motorista do ônibus.

A Irmã Margarida morreu e foi por engano para o inferno. De imediato ela pede para telefonar para São Pedro e explica o caso.

- Não se preocupe irmã, foi apenas um erro de transporte. Mas fique tranqüila que amanhã a senhora já toma o café da manhã aqui no Paraíso.

Às dez da manhã seguinte a Irmã Margarida ainda está no inferno e preocupada telefona para São Pedro.

- Desculpe, irmã, mas ainda estamos com um problema de transporte. Mas vai dar para a senhora chegar aqui antes do almoço.

Às duas da tarde a irmã telefona mais uma vez.

- São Pedro - diz ela desesperada - ainda estou aqui e você tem que me buscar com urgência. Soube que hoje é noite de suruba.

- Não se preocupe, irmã, hoje à noite a senhora estará jantando com Jesus.

Dez horas da manhã seguinte, novo telefonema:

- São Pedro, é Margô. Pode deixar pra lá!

Um policial rodoviário para um carro cheio de freiras que estavam andando devagar numa estrada de alta velocidade.

- Porque a irmã estava dirigindo tão devagar?

- Os postes pelos quais passei todos mostravam que o limite de velocidade era de 30 quilômetros 

- Não, irmã, esses sinais estão mostrando o número da rodovia. 

- Oh, desculpe, policial, que tolice a minha.

O policial olha para o banco de trás e vê três freirinhas com um olhar de pânico e com as juntas dos dedos brancas de se apertar umas às outras.

- O que houve com as irmãs no banco de trás?

- Oh, nada. É que acabamos de sair da rodovia 150.

Era uma cidadezinha pequena bem na divisa do Brasil e Argentina. Na realidade, a avenida principal separava o Brasil da Argentina. Um sábado chegou um novo padre para a única igreja da cidade, que ficava no lado brasileiro. No domingo de manha a igreja ficou cheia para a missa. Argentinos, brasileiros, o prefeito, toda a cidade estava lá. O novo padre começou o sermão:

- Irmãos. Estamos reunidos hoje aqui para falar dos fariseus... Aquela gente FILHA DA PUTA, COMO ESTES ARGENTINOS QUE ESTÃO AQUI!!!

O constrangimento é geral. O maior tumulto toma conta da igreja! Os argentinos saem xingando o padre, há briga na porta da igreja, a maior confusão. Acalmados os ânimos o prefeito procura o padre na sacristia:

- Padre, pega leve. Os argentinos gastam nas lojas, nos restaurantes, trazem divisa para o nosso lado da cidade! Não faca mais isso!

Relutante, o padre concordou. No domingo seguinte, começou seu sermão:

- Irmãos, estamos aqui reunidos hoje para falar de uma pessoa. Uma pessoa muito importante: Maria Madalena. AQUELA PUTA QUE TENTOU JESUS COMO ESTAS ARGENTINAS QUE ESTÃO AQUI!!!!!

Pancadaria na igreja. Tapas. Socos. Pontapés.Varias pessoas acabam internadas no pronto socorro da cidade! O prefeito novamente vai ao encontro do padre:

- Padre! Pelo amor de Deus, o senhor não disse que ia pegar leve? Já era difícil o comercio nessa cidade, agora vai ficar pior ainda!!!! Padre, se o senhor não amansar eu vou escrever uma carta para o bispo e pedir sua retirada imediata!

O padre novamente concordou. No manha de domingo, o prefeito, precavido, entrou na sacristia com a policia e a brigada militar. 

- Padre, pega leve dessa vez se não te levo em cana!

A igreja estava lotada, saindo gente pelo ladrão. Tinha gente pendurada nos lustres, agarrada nas pilastras, quase não dava pra respirar. Começou o sermão:

- Irmãos, estamos aqui reunidos hoje para falarmos do momento que precedeu a paixão de Cristo: a santa ceia..

O prefeito respirou aliviado. O padre continuou:

- Ao fim da ceia, Jesus disse aos seus apóstolos: "Essa noite, um de vos irá me trair"
- Paulo lhe perguntou: "Mestre, serei eu?" E Jesus respondeu: "Não Paulo, não será você"
- Pedro também lhe perguntou: "Mestre, serei eu?" E Cristo respondeu: "Não Pedro, não será você"
- Então Judas perguntou: "Maestro, seré yo?"

A Garota Se Confessando...

- Padre, ontem aconteceu uma coisa horrível comigo... Eu estava na sala sozinha com meu namorado quando ele, sem meu consentimento, botou o membro pra fora...

- Que pecado, minha filha! Mas conte, conte...

- Bam, padre, depois ele pegou a minha mão e botou para eu segurar...

- Que pecado, minha filha! Mas conte...

- Aí padre, ele pegou minha cabeça e botou no colo dele e me fez lamber aquela coisa...

- Que pecado!, Que pecado! Mas conte, filha, o que aconteceu?...

- Depois, padre... Depois ele tirou minha blusa, sutiã, calcinha e me botou deitada no sofá...

- Que pecado! Mas conte tudo, filhinha, conte tudo..

- Aí, padre, meu pai entrou na sala e evitou que o pior acontecesse.

- Ahhh, que pecado!

Num avião viajavam o piloto, um padre e duas freiras.

A meio da viagem o piloto repara que um motor explodiu e que não tinha possibilidades de fazer uma aterrissagem segura. Chega perto do padre e lhe diz ao ouvido:

- Padre, o avião vai cair e só existem dois pára-quedas. Um é para mim e o outro para o senhor.

- E o que faço com a freirinha? Não posso deixá-la aqui.

- Então fodam-se!!

- E dá tempo??

Um padre, muito piedoso e devoto morre e imediatamente vai para o paraíso. São Pedro o recebe de braços abertos.

- Padre, o aguardamos há muito tempo. Bem-vindo ao Paraíso. Você é mais que conhecido por aqui por suas boas obras e lhe garantiremos qualquer coisa que deseje.

- Eu sempre fui devoto da Virgem Maria. Eu gostaria de conhecê-la pessoalmente.

Assim, ele é levado até à Virgem Mãe.

- Santa Mãe - fala ele maravilhado - eu sempre fui um dos seus mais fieis devotos e estudei tudo sobre a senhora e acompanhei a sua vida do melhor modo que pude. Estudei todas as obras que a representavam e notei que sempre a senhora foi retratada com um olhar triste. Sempre imaginei o porque dessa tristeza. Você poderia me contar?

- Sabe, filho, é que eu sempre quis mesmo era ter uma filha mulher. 

As cem freiras de um convento estavam reunidas com a madre superiora, que com um ar grave no rosto começou a falar:

- Ontem um pecado muito sério foi cometido aqui!

- Oh não! - disseram 99 irmãs em coro.

- Hi-hi-hi! - fez 1 irmã, prendendo o riso.

- Hoje, no lixo do convento eu encontrei um par de cuecas - esbravejou a madre superiora.

- Oh não! - disseram 99 irmãs em coro.

- Hi-hi-hi! - fez 1 irmã, prendendo o riso.

- E também encontrei um condom - continuou a madre superiora.

- Oh não! - disseram 99 irmãs em coro.

- Hi-hi-hi! - fez 1 irmã, prendendo o riso.

- E ele tinha sido usado - insistiu a madre superiora.

- Oh não! - disseram 99 irmãs em coro.

- Hi-hi-hi! - fez 1 irmã, prendendo o riso.

- E além disso, estava furado - complementou a madre superiora.

- Hi-hi-hi! - fizeram 99 irmãs, prendendo o riso.

- Oh não! - disse uma irmã.

Houve um acidente com a caminhonete do convento que voltava da cidade e quatro freirinhas foram para o céu, onde na fila esperavam para ser recebidas.

- Irmãzinha - pergunta São Pedro à primeira - cometeste algum pecado ainda não confessado?

- São Pedro, hoje à tarde, passando pela cidade, havia um homem fazendo xixi na parede e eu olhei para ele de modo impuro.

- Passe a água benta dessa bacia nos olhos, e seu pecado será perdoado.

À segunda irmã é feita a mesma pergunta.

- São Pedro, quando fui tirar dinheiro no banco, bati com a mão no colo de um senhor atrás de mim e senti com prazer o volume sob o tecido.

- Lave as mãos nessa bacia de água benta, que seus pecados lhe serão perdoados.

A segunda freirinha lava suas mãos e entra no Paraíso. Nesse momento a freirinha que estava atrás da fila empurra a companheira e passa na frente.

- Irmã, não temos pressa aqui em cima - reclama São Pedro -. Pode voltar e esperar, que a vez agora é da outra irmãzinha.

- Você está é maluco se pensa que eu vou gargarejar com essa água depois que a irmã lavar a bunda com ela.

Um padre e uma freira estão voltando de uma convenção durante um inverno rigoroso, quando o seu carro quebra. Como não dá para consertar o carro em tempo, eles são obrigados a passar a noite em um hotel de estrada. Infelizmente, o hotelzinho está cheio e eles tiveram que ficar no único quarto livre.

- Irmã, eu não creio que o Senhor veja mal, nessas circunstâncias, de passássemos a noite juntos nesse quarto. Eu dormirei no sofá e a irmã na cama.

Assim, eles se preparam para dormir, cada um no seu lugar. Dez minutos mais tarde, ouve-se a voz da freira:

- Padre, eu estou com muito frio!

- Muito bem, eu vou me levantar e pegar um cobertor para a irmã no armário.

Dez minutos mais tarde...

- Padre, eu ainda estou com muito frio!

- Tudo bem, irmã, eu me levanto e lhe pego outro cobertor.

Dez minutos mais tarde...

- Padre, eu ainda estou com muito frio. Eu acho que o Altíssimo não se incomodaria se agíssemos como marido e mulher apenas essa noite.

- Sabe, irmã, eu acho que você tem toda a razão. Pode levantar e ir pegar você mesma o seu próprio cobertor.

Um grupo de estudantes de um colégio de freiras foi convidado para uma festinha numa república de estudantes. Acompanhando o grupo foi uma freirinha bonitinha e recém-ordenada para se assegurar do bom comportamento das meninas.

À medida que a festa ia esquentando, às custas da vodka que colocaram no suco que era servido, a presença da irmã foi ficando desconfortável para a rapaziada, doida para dar uns amassos nas meninas. Logo escolheram um dos mais bem-falantes para tirar a irmã do circuito. Com jeito o rapaz a convenceu que em vista do bom comportamento das meninas, a freira poderia descer para o quarto dele, onde poderia ficar à vontade, enquanto esperava o fim da festinha.

No quarto do rapaz, a irmã tirou o véu, folgou o hábito, e ficaram conversando e tomando o suco. Com o tempo, foi sendo criada a intimidade, mais peças de roupa foram sendo tiradas em nome do calor e os dois acabaram indo para a cama.

Quando acabaram a relação, o rapaz caiu em si.

- Irmã, que loucura é que cometemos? O que vamos fazer?

- Não se preocupe, meu filho, a culpa foi minha. Agora eu tenho que rezar muito e fazer muita penitência para que Deus me perdoe essas duas trepadinhas?

- Duas? Como duas?

- E você acha que eu vou sair daqui sem dar outra?

Duas freiras voltavam para o convento quando perceberam que estavam sendo seguidas. Apressaram o passo e o perseguidor fez o mesmo. Correram e foram imitadas.

- O que vamos fazer? - perguntou a mais nova.

- Vamos nos separar. No próximo cruzamento você vai para um lado e eu para o outro. Ele só vai poder seguir uma e a outra volta para o convento para pedir ajuda.

Separaram-se e o tarado seguiu a mais jovem. A mais velha correu para o convento, onde pediu ajuda.

- Irmãs, vamos para a capela rezar pela salvação da nossa irmã Alzira - sugeriu a madre superiora.

Algum tempo mais tarde batem à porta do convento. As irmãs vão abrir e lá está a irmã Alzira toda suada e desgrenhada.

- Irmã, o que aconteceu - perguntaram em coro todas as outras.

- Bem, quando nos separamos, percebi que o homem continuou me perseguindo. Eu corria para um lado, ele ia atrás; eu corria para o outro, e olha ele lá. Depois de um bom tempo de perseguição, eu já estava conseguindo ganhar distância, quando entrei numa rua que eu não conhecia. Para meu pavor, era um beco sem saída.

- E aí, irmã Alzira?

- Aí, ele foi se aproximando de mim, atento para não deixar que eu passasse por ele. Foi então que eu levantei o hábito.

- Ooooh! E ele?

- Ele então arriou as calças.

- Ooooh! E aí?

- Bem, quem é que corre mais rápido, uma mulher de saia levantada ou um homem de calças arriadas?

Acima